segunda-feira, 30 de maio de 2011

Professores na Chapada



A pergunta é: QUAL A FORMA QUE OS PROFESSORES TÊEM PARA CHAMAR A ATENÇÃO SOBRE O POUCO CASO, ACERCA DO SALÁRIO AVILTANTE QUE RECEBEM? De suas condições profissionais, que há anos se arrastam, se não parando de trabalhar? Outras categorias deixam de produzir, como o caso das montadoras, mas como o prejuízo é grande, rapidamente o governo toma providências.

No caso dos professores, os governantes não estão nem aí para o fato dos alunos ficarem sem aulas, pois um ignorante a mais ajuda o progresso da vergonhosa casa chamada CONGRESSO NACIONAL. Revoltante    ainda é ler   que  os     secretários  de
educação, alegando falta de recursos, lançam Mão da Lei de Responsabilidade Fiscal para se resguardarem de ser acionados por crime de responsabilidade.

Gostaria que alguém escrevesse neste espaço quais os Estados do Brasil que cumprem a LRF e veremos que ela só existe para barrar os aumentos aos professores, pois para receberem 62% de aumento, os parlamentares não se lembraram da lei e muito menos que são pagos com o dinheiro do contribuinte. Portanto, os professores não são os salvadores da pátria e mais, um País que precisa de salvador da Pátria não merece ser salvo.

Então caro leitor ou eleitor isso é um absurdo dos absurdos. Eles aumentam os seus salários como bem querem e acham conveniente e os nossos professores ganham uma merreca! O dinheiro vem de onde? De nós contribuintes! Então a máxima é a seguinte NÃO VAMOS MAIS PAGAR IMPOSTOS  direto nos cofres do governo,acho que temos este direito, temos que fechar a torneira, vamos pagar impostos sim, mas em JUIZO! E vamos determinar para onde deve ir este dinheiro, como por exemplo, para pagar os professores... que tal a idéia? Assim seja! Vamos averiguar a constitucionalidade disto! FICO P DA VIDA COM TUDO ISTO!....

Tudo neste País virou banalidade, mata-se seres humanos por banalidades, fala-se na imprensa escrita todos os dias dos escândalos dos fdp’s e não acontece nada postei hoje (domingo) esta matéria na Cidade de Rio Verde-GO comprei todos os jornais da região e mais alguns de São Paulo como a Folha e outros; todos tratam destes temas CORRUPÇÃO e o que acontece ‘NADICA DE NADA”.Querem nos fazer palhaço! Mas nós os eleitores através deste BLOG vai ser o começo de uma nova maneira de pensar e agir com relação aos fdp’s; temos muitas novidade a escrever e falar sobre isso, vamos acabar com isso! Por isso convido a todos que nos segue fazer a propaganda boca a boca sobre este BLOG que será o inicio de uma nova concepção para a solução do manuseio dos recursos  públicos; SIG IN – siga-nos e verás o que vem a posteori. Aguardem!

quinta-feira, 26 de maio de 2011

COMO CRIAR UM PARTIDO POLÍTICO



Abrir um partido parece tão fácil, mas um Partido Político é tão complicado. E por que não estou surpreso? Porque não deveria mesmo. Contudo, vamos analisar o processo:
  1. Aquisição da personalidade jurídica do partido, que é feita através do registro do estatuto no Cartório do Registro Cívil das Pessoas jurídicas, da Capital do Distrito Federal. O requerimento deve ser subscrito pelos seus fundadores, cujo número não poderá ser inferior a 101 eleitores, com domicílio eleitoral em no mínimo um terço dos estados;

  2. Buscar o apoiamento de eleitores correspondentes a pelo menos:
  1. ½ (meio por cento) dos votos dados na última eleição geral a Câmara dos Deputados, não computados os votos brancos e nulos. Hoje seriam aproximadamente 228.000 assinaturas;
  2. Distribuídos por 1/3 (um terço) ou mais, dos estados; equivale a 9 estados;
  3. Com um mínimo de 1/10 (um décimo por cento) do eleitorado que haja votado em cada um deles. Hoje seriam aproximadamente 4.700 assinaturas, no estado do Paraná, por exemplo.
  1. O Partido Político, após adquirir personalidade jurídica na forma da lei civil e se organizar em cada estado, deverá registrar seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral.
É só após o registro definitivo do seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral, que o Partido Político adquire o direito de credenciar delegados que representem o Partido; de receber recursos do famoso fundo partidário; de participar do processo eleitoral; de ter acesso gratuito ao rádio e televisão nos casos previstos nas leis; e ainda ter o direito exclusivo ao uso de seu nome, sigla e símbolos, etc.
Nos períodos em destaques estão nosso maior interesse. Então é só começarmos a angariar assinaturas e um bom patrocínio que banque custos até o fundo partidário nos agraciar com o dom do dinheiro.

Bom. Estar aí acima o que conseguir de informações para criação do Partido Político. Conseguir recursos pra isto é onde estar o nó! Por exemplo, Kassab prefeito de São Paulo estar criando um partido político o (PSD) pra ele conseguir estes recursos é a “Maior Mané Moleza,”NÉ? Por quê? Ele tá com a “viuvinha” nas mãos que é a Prefeitura de São Paulo, Moleza, Não? 

E nós? Onde iríamos buscar estes recursos? As fontes destes recursos, logicamente, tem que ser límpidas e transparentes a tal ponto que nem os recursos do FAMOSO FUNDO PARTIDÁRIO (hoje com a cifra de 100 milhões disponíveis para ser gastos com os partidos) nunca seria usado para este fim... mesmo tendo o direito a tal recursos depois de todo processo organizacional do Partido não iríamos usar nenhum centavos de tais recursos públicos. Êpa – como diz o personagem da novela das sete da Globo – o negocio ta puxado! Explique-se “Dr. Varella”! Vou explicar, aguardem!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

FAÇO AQUI UMA "À PARTE" PARA A DEPUTADA FEDERAL KEIKO OTA



MANDATO POLÍTICO PARA FAZER JUSTIÇA: É como diz o ditado em “toda e qualquer regra existem as exceções. E aqui tiro o chapéu para a deputada federal Keiko Ota, esta sofrida mãe que perdeu o filho Ives que foi seqüestrado e morto por segurança de Masataka Ota (pai de Ives), depois de reconhecer o rosto de um dos algozes no cativeiro. Trilhando o caminho para chegar ao parlamento, ou seja, um mandato político para fazer justiça. Diante da punição considerada branda para os assassinos do filho, a comerciante entrou na vida parlamentar com a meta de aumentar penas para crimes hediondos.

Após o crime, o casal recolheu 3 milhões de assinaturas e entregou-as em 1999 ao então presidente da Câmara Michel Temer (PMDB-SP), pedindo que crimes hediondos fossem punidos com prisão perpétua e trabalho agrícola. Desde então, o processo nunca avançou no parlamento. Pior, os acusados foram condenados a 43 anos de prisão, mas acabaram soltos depois de apenas seis anos, com a regalia de cumprir o tempo em prisão militar – todos eles eram policiais da PM.

                 Enquanto eu viver, 
                     Não vou querer  
                     Vingança, mas 
                     Justiça. O perdão 
                     Pode e deve conviver  
                     Com a Justiça.” 
                     [Keiko Miashiro Ota (PSB-SP)]
                     (Deputada federal e mãe de Ives)
                                                        .x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x. 
                 
                    “ A verdade é que a 
                    Nossa Justiça não 
                    Condena os  
                    Culpados, mas os 
                    Inocentes.” 
                     Masataka Ota, pai de Ives 

Ao pai e a mãe de Ives e a todas as famílias que tiveram um ente querido sugados pela descomunal violência que se espalha como um câncer no seio de nossa sociedade, que precisa de leis mais duras para se dar um basta em tudo isto...  aqui vai o mais sincero votos de pesar pela tão brutal e inesperada perdas.

terça-feira, 24 de maio de 2011

PODE A “RAPOSA NEGOCIAR OU CONVIVER COM A GALINHA”...



PROJETOS ANTICORRUPÇÃO/Pelo menos 11 projetos de combate à má administração pública e à improbidade estão paradas na CCJ, comandada pelo deputado João Paulo Cunha (PT-SP), ré no processo do Mensalão.
NAS MÃOS DO SUSPEITO: Aquí nos bastidores desta política mesquinha, safada, corrupta, pode tudo, pois é, reportagem que fala da atuação do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) à frente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Ao receber o aval do seu partido para comandar o colegiado mais importante da Casa, Cunha obtve o poder para definir o destino de 11 projetos que propõem o aumento de penas para acusados de crimes como corrupção e improbidade administrativa: PRÁTICAS QUE O TRANSFORMARAM, JUNTO A OUTRAS 39 PESSOAS, EM RÉU NO PROCESSO DO SUPREMO TRIBUNAL FFEDERAL (STF) QUE INVESTIGA O PAGAMENTO DE PROPINA A PARLAMENTARES.  

Duas dessas propostas tratam justamente da corrupção passiva, que é uma das acusações que recaem sobre o deputado corrupto. Segundo o Projeto de lei n. 379/2007, as penas para improbidade, corrupção ativa e passiva devem ser agravadas e podem resultar até na suspensão de direitos políticos por 18 anos. Outro projeto, que está na CCJ há mais de 10 anos, (tem jeito? 10 aninhos!) dificulta a vida dos corruptos, ao estabelecer que “qualquer cidadão, partido político, associação ou sindicato é parte legitima para denunciar, verbalmente, por escrito ou por meio de registro magnético, irregularidades ou ilegalidades de seu conhecimento contra o bom emprego de recursos públicos”. Essa prerrogativa poderia facilitar a apuração e a divulgação de irregularidades. 

P.S. A solução para o escrito acima vai acontecer. Pode demorar um pouco, mas, acontecerá a semente já foi plantada e agora é só aguardar... Vai ser inédito, aguardem! 

VAMOS REFRESCAR A MEMÓRIA? 

PROPINAS NO CONGRESSO 

O escândalo do MENSALÃO explodiu em 2005.O esquema consistia no pagamento de propina a parlamentares para que votassem a favor de projetos do governo Lula. Entre os 39 acusados, estão deputado, ex-ministros, dirigentes bancários e o empresário Marcos Valério, considerado pivô do escândalo. As denúncias derrubaram o ex-chefe da Casa Civil José Dirceu, apontado pelo Ministério Público como mentor do esquema. Na lista dos réus no processo que tramita no STF, João Paulo Cunha é acusado de ter recebido R$ 50 mil da empresa SMP&B, de Marcos Valério. Segundo a denúncia, o pagamento da propina era para que a SMP&B tivesse tratamento privilegiado na licitação da Câmara, presidida na época por Cunha.  

Depois de enfrentar o desgaste no seu primeiro mandato, Lula começou a dar declarações desqualificando as acuzações . No mês passado, durante a convenção do PT, caciques da legenda afirmaram que o caso não existiu e que a sigla vai apagar da memória as denúncias. Como prova da tentativa de ignorar o passado, o partido do PT aceitou a re-filiação do antigo tesoureiro Delúbio Soares, acusado de intermediar o pagamento das propinas, é MOLE OU QUER MAIS?

segunda-feira, 23 de maio de 2011

SER CIDADÃO TEM UM PREÇO. E QUE PREÇO!



Há dois momentos em que o cidadão se depara com os políticos. O primeiro é nas urnas, ao depositar o voto. O segundo é em casa, ao receber a conta de sua CIDADANIA. Já começaram a ser emitidas as faturas do IPVA e do IPTU.Com o boleto na mão, o brasiliense faz a primeira leitura do que recebe em troca do pagamento dos impostos. E é nesse momento que tem o reencontro com as urnas. 

Pagar imposto é obrigação constitucional. Receber os benefícios decorrentes dele é obra do acaso. Uma lei estabelece os deveres para o cidadão. Mas os direitos dependem da vontade de quem nos governa. Mesmo assim, como um cordeirinho, a maioria da população cumpre seu papel e honra os compromissos estabelecidos com a sociedade. Mais mesmo assim pagamos tudo direitinho para que os fdp´s (leia-se famigerados pelo dinheiro público) ou se o leitor quiser pode dar outra conotação . Mas dificilmente recebe o troco. 

Não dá para imaginar por que uma cidade como Brasília, que tem um dos maiores índice de carros per capita do Brasil – e, conseqüentemente, uma grande fonte de recursos – esteja com as ruas esburacadas. Cansados de esperar uma ação efetiva do Estado.O cidadão faz o que é tarefa do administrador público. Mesmo pagando imposto cuida do que é obrigação do governo. O menor valor do IPTU da SQN 110 é de R$ 653,00, mas o GDF passou o ano inteiro de 2003 (ano que foi escrito esta reportagem) sem realizar uma única obra na quadra nem um metro de calçada ou poste de iluminação. O mesmo acontece com várias outras quadras. Onde vai parar tanto dinheiro destas contribuições, logicamente nos bolsos dos fdp´s (leia-se famigerados pelo dinheiro público) e aí estar o resultado poucos anos depois o grande escândalo da CAIXA DE PANDORA. 

Morar numa cidade bem cuidada é direito esquecido pelos (fdp’s)  políticos tão logo se esgota a disputa por votos. Não é assim só em Brasília (Alguém já deu uma voltinha na vizinha cidade de Águas Lindas-GO?) Nem só com o atual governo. Na grande maioria das vezes, as cidades são para os fdp’s  (políticos) apenas domicílios eleitorais, onde se registram para disputar uma campanha, ganhar um cargo e colher os dividendos decorrentes dele – é o exemplo clássico do Senador JOSÉ SARNEY do Maranhão que é eleito por outro Estado. Usando uma metáfora simplista, a sensação é que PAGAMOS A CONTA DO RESTAURANTE antes de ser servido o almoço. É mole ou quer mais? 

Obs. Esta reportagem foi escrita por ANA DUBEUX do Correio Brasiliense em 2003 apenas foi acrescentado alguns termos por mim, como por exemplo, os fdp’s.

SALÁRIODE CONGRESSISTA É MAIOR QUE EM PAÍSES RICOS

Com o recente aumento de 62% em seus salários, os congressistas brasileiros passarão a ganhar mais do que seus pares em países desenvolvidos e em outros emergentes importantes. 
A remuneração anual (incluindo o décimo terceiro salário) dos congressistas chegará a US$ 204 mil dólares, ou seja, aproximadamente, R$ 400 mil reais. 

Esse valor é mais alto que o recebido pelos parlamentares da União Européia e de 16 países pesquisados pela FOLHA, incluindo os do G8 (EUA, Japão, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Canadá e Rússia). 

Congressistas custarão R$ 128 mil por mês. Em votação relâmpago, Senado aprova aumento de salários no Legislativo e Executivo. Câmara aprova aumento de salário do Executivo e Legislativo para R$ 26,7 mil. Aumento aprovado pelo Congresso poderá custar R$ 1,8 bilhão para cidades.
A desigualdade entre a renda de deputados e senadores e a da média da população brasileira também será uma das maiores do mundo a partir de fevereiro, quando o novo salário, de R$ 26,7 mil por mês, passa a valer.

Deputados e Senadores receberão valor quase 20 vezes maior que o PIB (Produto Interno Bruto) per capita do Brasil – de US$ 10,5 mil neste ano, segundo o FMI. 

Segundo matéria publicada pela FOLHA, cada congressista brasileiro representará um custo médio de R$ 128 mil por mês, se computados outros benefícios além do salário, como passagens aéreas. O valor equivale a US$ 900 mil por ano, ou seja, 1 milhão e oitocentos mil por ano.  

Para o cientista político Bruno Reis, da UFMG ressalta que o hiato entre a nova remuneração de congressistas e o PIB per capita do Brasil é muito alto, reflexo da desigualdade de renda ainda elevada no país.